Notícia

Batista da Mariana ganha protagonismo com desgaste administrativo e político de Dinho

Redação *

Publicidade

Anuncie

Derrotado nas últimas eleições municipais de Palhano, quando concorreu contra o atual prefeito Dinho Nunes, o ex vice-prefeito da cidade, Batista da Mariana, começa a ganhar musculatura política e despertar um questionamento na mente do eleitorado palhanense: “Como estaria hoje o município, se Batista tivesse vencido as eleições”? 

O questionamento toma conta de populares, lideranças políticas e comunitárias e ganha uma dimensão ainda maior, depois de mais de 400 dias de administração de Dinho.  O prefeito petista, que representou uma grande esperança de mudança administrativa e política depois de anos da gestão Nilson Freitas, vem recebendo duras críticas sobre seu modelo de gestão.

O atual prefeito de Palhano  vem marcando sua administração com ações que demonstram pouca habilidade política.  Além disso,  nomeações de um número exagerado de parentes, o  esquecimento de promessas e bandeiras de campanhas, e principalmente,  a ingratidão com amigos e aliados de primeira hora, tem sido uma marca nada facil de se esquivar . Dinho está vivendo dias amargos na condução do município. E o pior é que tanto a população, quanto a classe política, ja perceberam essa fragilidade.   

O povo de olho no futuro

E o eleitor já começa a olhar para o futuro, talvez por ter perdido a esperança no presente. E já começa a vislumbrar algo que possa realmente suprir as necessidades da população. E Batista da Mariana derrotado nas urnas, em 2016, hoje ressurge como um nome destinado a assumir o protagonismo político local.  Mas como se posicionar politicamente após ser derrotado nas urnas com uma votação esmagadora?  Essa foi a pergunta de nossa reportagem a alguns eleitores que debatiam sobre política em volta de uma mesa, em um ponto comercial da cidade.

A resposta foi surpreendente.  Demonstrou que  embora Batista tenha sido o candidato que foi as urnas, a maior parte do eleitorado palhanense não associa a derrota ao seu nome.  “Quem perdeu as eleições foi o Nilson Freitas. Foi a ele que a população queria dar uma resposta, não ao Batista” comentou o dono do estabelecimento onde a conversa se desdobrava. “Lamentavelmente, naquele momento ele foi apoiado pelo ex prefeito, que vinha de uma administração perversa principalmente com o funcionalismo público. Ai ele pagou o pato”, completou.

De fato, Batista lutou para ser o candidato do prefeito, porque apostou que a população saberia separar um do outro. Não soube! E a derrota foi inevitável. Mas a luta para ele não foi em vão. Pode aprender muito. Inclusive, tanto Nilson como Dinho são exemplos vivos, que mostram exatamente o que não se pode fazer se um dia chegar a comandar o município.

A eleição como experiência

Para Batista da Mariana, a eleição passada foi uma experiência importante na sua carreira política. “Não mudei e não vou mudar. A derrota não me mudou, como a vitória não me mudaria. Ao povo cabe o julgamento dos fatos atuais e os rumos do futuro. Sigo a minha vida com a mesma simplicidade e com o mesmo desejo de servir. Ainda é muito cedo pra falar de eleições. Mas nunca é tarde para se saber o que quer. E um dia quero mostrar ao povo do que de fato sou capaz de fazer” destacou o ex vice prefeito.

  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Google Plus
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Publicidade

Anuncie

Veja também

Camilo inaugura obras  e promete voltar para entregar Areninha e Videomonitoramento
20 Abr

Camilo inaugura obras e promete voltar para entregar Areninha e Videomonitoramento

“Volto em breve, para entregar o sistema de Câmeras e a Areninha. E já vou falando que vou jogar”. comentou Camilo

Homem é assassinado na zona rural, com tiros de espingarda no rosto
20 Abr

Homem é assassinado na zona rural, com tiros de espingarda no rosto

Ele ainda tentou fugir, mas caiu e recebeu mais um tiro, dessa vez na cabeça e veio a óbito no local.

Vacinação contra a H1N1 começa na próxima segunda-feira, 23, em Russas
20 Abr

Vacinação contra a H1N1 começa na próxima segunda-feira, 23, em Russas

O Dia

Açude do barracão se aproxima dos 5 milhões de metros cúbicos de água
20 Abr

Açude do barracão se aproxima dos 5 milhões de metros cúbicos de água

De acordo com os dados divulgados, o açude do Barracão está atualmente com 4.820.000 metros cúbicos

MAIS NOTÍCIAS